Impotência sexual tem tratamento

Consulte um urologista logo nos primeiros sinais

A impotência sexual ou disfunção erétil, é um mal que assusta a maioria das pessoas. O preconceito, o medo e a vergonha são parte do cotidiano de quem sofre com o problema, que, na maioria dos casos, pode ser diagnosticada e tratada rapidamente.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia, impotência sexual é mais comum do que se imagina. No Brasil, pelo menos 25 milhões de homens que sofrem de disfunção erétil. Não deixe acontecer de novo. Nos primeiros sinais, consulte o urologista.

De acordo com o médico urologista Flavio Frederico (CRM 27856), que é Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia, a disfunção erétil ocorre não chega sangue suficiente no membro, ou o sangue permanece no pênis durante a ereção vai acontecer”.

 

Quando ele recebe incentivos, as duas maiores câmaras do pênis (corpos cavernosos) se enchem de sangue, e de viena, que fornecem o fluxo de sangue no pênis, serão bloqueados. Portanto, o homem é capaz de obter e manter uma ereção

A disfunção erétil pode ser causada por fatores orgânicos e psicológicos: diabetes, pressão arterial alta, doença cardíaca, baixo fluxo de sangue, a obesidade, a depressão, o estresse, a ansiedade e o medo. “Também é muitas vezes associado com o tabagismo, uso de drogas, abuso de drogas e alcoolismo”, diz o médico.

Impotência sexual e alcoolismo

Muitas vezes a impotência está relacionada com o alcoolismo, tabagismo e abuso de drogas e medicamentos

Problemas no órgão genital, como a fibrose, cistos ou tumores, deformidades no órgão genital e algumas doenças neurológicas, como a doença de Alzheimer, esclerose múltipla, doença de Parkinson, lesões da medula espinhal ou um tumor cerebral também podem causar a disfunção erétil.

“A impotência não oferece o risco de morte, mas afeta significativamente as relações interpessoais, que põe em causa o seu bem-estar e qualidade de vida. A maioria dos problemas que levam à disfunção erétil, podem ser processadas”, complementa Friedrich.

A impotência pode prejudicar relacionamento interpessoal e causar ou agravar problemas psicológicos

Os sintomas

O principal sintoma é a não atingir uma ereção ou dificuldade de manter a ereção até o final do ato sexual. Ereção, menos rígida e mais flácida é comum.

“O paciente percebe que começa a demorar mais tempo para conseguir uma ereção quando você chegar lá, você não pode manter. Dificuldade de concentração e da ejaculação mais rápido que o normal, também queixas mais comuns”, diz o médico.

O sintoma principal é não conseguir a ereção, ou ter dificuldades para mantê-la até o final do ato sexual

Outros sintomas, como: diminuição da causa do corpo, alteração ou deformação ou reduzir o órgão sexual também disse, no consultório do perito.

“Quando o paciente chega ao consultório com queixas de disfunção erétil, o primeiro passo é examinar a causa do problema. Nós fazemos um relatório detalhado sobre as queixas, assim como estudos sobre os maus hábitos, como tabagismo, consumo de medicamentos, entre outros. Na inspeção, exploramos a deformação dos órgãos genitais, doença de próstata, sinais de doença circulatória ou problemas neurológicos.”, o médico diz.

Se necessário, o seu médico pode pedir a realização de exames laboratoriais para avaliação do nível de lipídios, o açúcar e o hormônio testosterona em seu corpo, uma vez que estes valores podem ajudar a identificar um possível problema.

A impotência e diabetes

Uma das causas mais comuns de disfunção erétil é a diabetes, especialmente em homens com menos de 50 anos.

“O diabetes causa um espessamento das artérias, deixando menos espaço para a circulação de sangue. Mais da metade dos homens que sofrem de diabetes, haverá ao longo do tempo de desenvolvimento de disfunção erétil”, diz o médico.

Tratamento

O tratamento vai depender do diagnóstico. No caso da diabetes, por exemplo, o primeiro passo para controlar o nível de massa no sangue, através do uso de medicamentos e o modo de alimentação.

“Em alguns casos, é necessário a aplicação de medicamentos é necessário para ajudar os vasos sanguíneos na região do pênis, para que eles funcionem melhor”, complementa o médico.

Só um especialista deve indicar o uso de macho man para tratar a impotência Seu uso indiscriminado e sem orientação médica pode causar sérios danos a saúde e oferecer risco de morte

Outros métodos de tratamento, tais como: terapia de reposição de hormônios, o uso de dispositivos que promovem a ereção, como o estimulante max power a cirurgia para implante de prótese peniana, o aconselhamento psicológico e a psicoterapia, entre outros, também podem ser especificadas, dependendo do caso.

Você pode ter o visa sexual ativa e feliz em qualquer idade. Fale com o seu urologista

“O primeiro passo é falar com o seu urologista. Ele fará o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento para o seu caso. Não precisa ter vergonha e do preconceito. Quanto mais cedo começar o tratamento, mais rápido e mais eficiente será o resultado. Não deixe o problema persistir, contate um especialista”, aconselha o dr. Flavio Frederico.

ACESSE: ANVISA.COM